Website do Dr. Rogério Alvarenga

Dr.  Rogério  M. Alvarenga
Médico - CRM-RJ 23.389-0


Freqüentemente desde o indivíduo comum até o atleta ou o praticante de esportes fica sem saber se está consumindo as vitaminas e os minerais essenciais ao seu organismo, seja no que lhe é específico ou se nas dosagens e combinações corretas, pois além dos exercícios praticados com regularidade, já está provado que juntamente com uma nutrição correta se faz necessário o uso adequado e equilibrado de suplementos, vitaminas e minerais para um bom resultado final da pratica esportiva ou de resultados em exercícios.
 

Introdução

Nosso conhecimento das vitaminas e de seu papel no organismo aumentou muito nas últimas décadas. Agora sabemos, ainda mais, que as vitaminas são imprescindíveis à vida. Preparando com as nossas próprias mãos o alimento que vamos consumir, podemos garantir a saúde, superar as indisposições e prevenir doenças e alguns efeitos degenerativos do envelhecimento.

A palavra Vitamina foi criada no princípio do século por Casimir Funk, um Bioquímico polonês, que achava que este nutriente era uma "amina da vida". As aminas são compostos formados pela substituição de um ou mais átomos de hidrogênio na molécula da amônia (NH³) por radicais orgânicos. A palavra inglesa original "Vitamine" foi posteriormente modificada para "Vitamin", quando se reconheceu que nem todas as vitaminas eram aminas. Em português não houve modificação semelhante.

As vitaminas são um grupo de nutrientes orgânicos, essenciais para regular o processamento químico do organismo, como por exemplo, tirar a energia do alimento, fortalecer os ossos e controlar a atividade hormonal. Elas não podem ser produzidas no corpo e assim devemos obtê-las de alimentos ou de suplementos vitamínicos. Sem todas as vitaminas, a vida não se sustenta. As estruturas químicas de todas as vitaminas já são conhecidas e se encontram sintetizadas para o uso como suplementos alimentares.

As vitaminas são necessárias ao bom funcionamento do organismo em quantidades diminutas (miligramas ou microgramas) e estão contidas nos alimentos em quantidades muito pequenas, o que dificultou o seu reconhecimento pelos cientistas. A tomada de consciência acerca das vitaminas é relativamene recente. Até pouco tempo, a nutrição desempenhava um papel muito pequeno no tratamento convencional dos problemas de saúde. O stress da vida diária e a agressão dos poluentes sobre o nosso corpo causaram uma extraordinária variedade de problemas de saúde, o que levou à pesquisa sobre a relação entre saúde e os elementos da nutrição, em especial as vitaminas.

As vitaminas provavelmente são os componentes essenciais mais conhecidos da alimentação, entretanto até o início do século XX, sabíamos muito pouco sobre nutrição, e as vitaminas eram desconhecidas. Acreditava-se que as gorduras, os carboidratos e as proteínas, ao lado de alguns sais minerais como o cálcio, eram tudo o que se precisava para manter a vida. Apesar disso, as doenças causadas pela falta das vitaminas já eram conhecidas da humanidade há muitos anos. Em situações de alimentação monótona, como em cidades sitiadas pela guerra ou em navios das primeiras explorações marítimas, doenças como o escorbuto, pela deficiência de vitamina C, eram conhecidas. Testes laboratoriais provaram que alem dos outros nutrientes as vitaminas são essenciais e, em 30 anos, cerca de 50 substâncias foram identificadas como "Fatores Complementares do Alimento", necessários para viver. Tão logo sua existência foi comprovada, em seguida criou-se o termo de Avitaminose.O isolamento e o reconhecimento da estrutura química das vitaminas datam entre 1925 a 1950.

Todos os fatores receberam nomes e números, mas apenas alguns deles subsistiram, pois as pesquisas comprovaram que nosso corpo pode produzir alguns dos componentes necessários por si próprio. Isto explica porque faltam letras na série de vitaminas, ou seja, C, D, E mas não G ou I. Essa utilização de letras para as vitaminas surgiu antes do nome "vitamina" e foi criada pelo cientista americano Elmer McCollum, que a princípio designou em "A", a solúvel em gordura e "B" a solúvel em água. Naquele tempo (- McCollum relatou a extração da vitamina A da manteiga em 1914) ele só conhecia estas duas vitaminas, mas hoje sabe-se que as chamadas vitaminas D, E e K também são solúveis em gorduras ("Lipossolúveis") e que existem muitas outras solúveis em água ("Hidrossolúveis").

Uma história de deficiência vitamínica

Antes que se compreendesse o papel das vitaminas e dos sais minerais, o povo sofria de muitas deficiências desses elementos. Durante as grandes navegações dos séculos XV e XVI, um dos maiores flagelos dos marinheiros era uma estranha doença que atingia a tripulação, provocando queda de dentes e cabelo, hemorragias generalizadas (gengivas, nariz, etc.), anemia e intensa fraqueza. Não eram poucos os que acabavam morrendo, em absoluta prostração. Essa doença, hoje conhecida como Escorbuto, surge no organismo em conseqüência da alimentação deficitária em vitamina C.

Em um dos trechos de "Os Lusíadas", Camões descreve os marinheiros atacados pelo escorbuto:

 

"(...) ali lhes incharam
As gengivas na boca, que crescia
A carne, e juntamente apodrecia!
Apodrecia c'um fétido e bruto
Cheiro, que o ar vizinho inficionava."

 

Conta a história do Canadá que o explorador Jacques Cartier (1491-1557) tendo cruzado o Atlântico Norte e entrado no rio São Lourenço (que ele mesmo deu o nome) para explorar a região do Quebec teve a sua tripulação gravemente atacada pelo Escorbuto. À dieta monótona e sem verduras dos marinheiros se somou a dificuldade do rigoroso inverno canadense. Os marinheiros que não morreram se curaram com chá de folhas de pinheiro ofertado
pelo índios locais.

A vitamina C foi o tema do primeiro experimento clínico controlado nos registros da história médica. Até então os marinheiros eram atingidos pelo escorbuto pela deficiência da vitamina C causada por uma dieta quase exclusivamente à base de biscoitos, sal, carne e peixe.

Em 1750, um médico britânico acrescentou laranja-lima, rica em vitamina C, à dieta de um grupo que havia recebido a dieta regular. Aqueles com vitamina C na dieta não desenvolveram o escorbuto, e as frutas cítricas se tornaram um componente regular na alimentação dos marinheiros ingleses.

É curioso notar que os marinheiros na Inglaterra, até hoje, ainda têm o apelido de "limeys", ou seja, limoeiros (os limões amarelos são chamados de "limes" em inglês).

No Brasil temos uma fruta, a acerola, que é riquíssima em vitamina C. Cem gramas de suco desta fruta contém mais de 2000mg desta vitamina constituindo-se na maior fonte de vitamina C. O pimentão, a goiaba os sucos de frutas cítricas, limão, laranja, tangerina, etc... também são fontes importantes desta vitamina.

Por volta de 1940, no continente Sul Americano, houve incidência de Pelagra, caracterizada por perturbações mentais, diarréia e dermatite. Ela se espalhou com tanta violência que se pensou tratar-se de uma praga. No final, ficou provado que a "praga" era uma deficiência de Vitamina B3, a Niacina, e a pelagra é agora extremamente rara no mundo ocidental.

Como as vitaminas funcionam

O mecanismo de ação das vitaminas, que são ativas em quantidades mínimas, passou a ser melhor compreendido após a descoberta por Theorell e Waburg, de que as vitaminas poderiam ser componentes de coenzimas. Foi a Genética Bioquímica que nos ensinou como uma necessidade vitamínica pode originar-se: em decorrência de mutações faltam determinadas enzimas que participam da síntese de coenzimas. Por esta falha a cadeia de síntese é interrompida, a coenzima ou respectivo precursor não são mais sintetizados e portanto devem ser introduzidos pela alimentação. Assim o homem, na verdade, deve ser encarado como um mutante-deficiente para vitaminas.

Naturalmente podemos nos perguntar quando, durante a evolução, surgiram estes mutantes-deficientes e por que elas não desapareceram pela seleção natural. A resposta provavelmente é a de que na "alimentação natural" as vitaminas existem em quantidades tão grandes que não há uma necessidade de síntese própria, e portanto não ocorre uma pressão da seleção natural. Apenas no nosso mundo civilizado ocorreu um afastamento da alimentação natural, de modo que estas mutações se tornam prejudiciais.

As vitaminas e os outros elementos secundários atuam em conjunto no corpo para assegurar que todos os processos sejam executados. Quando falta um elemento apenas, o corpo se desequilibra e deixa de funcionar corretamente. Se imaginarmos o organismo  como uma máquina regulada, quando uma peça emperra, nada funciona direito.

No organismo, proteínas, carboidratos e gorduras se combinam para produzir energia e compor os tecidos e ossos. Essas reações químicas são aceleradas por determinadas vitaminas. As Vitaminas Hidrossolúveis não são armazenadas no corpo e devem ser tomadas diariamente para se prevenir sua deficiência.

Já as Vitaminas Lipossolúveis (A, D, E, K) podem ser armazenadas. O intestino as absorve e o sistema linfático as transporta para diferentes partes do corpo. As vitaminas lipossolúveis estão relacionadas com a manutenção da estrutura das membranas celulares. O consumo excessivo de vitaminas lipossolúveis, particularmente as vitaminas A e D, pode chegar a níveis tóxicos ao organismo.

São 18 os minerais necessários à manutenção do corpo humano. Sem eles, as vitaminas não são assimiladas. Teoricamente, todos os alimentos orgânicos deveriam conter vitaminas e sais minerais, mas a industrialização e outros métodos modernos de produção de alimentos podem eliminá-los.

Tratamento com vitaminas

Contínuas evoluções no estudo da micronutrição têm demonstrado que cada vez mais pessoas recorrem a suplementos vitamínicos. A alimentação saudável não fornece mais os elementos nutricionais necessários e, para ter um sistema imune capaz de combater doenças e manter um nível excelente de energia e clareza mental, somos obrigados a buscar esses elementos em outro lugar: - os Suplementos.

Mais de 50% da população dos Estados Unidos toma suplementos vitamínicos, diretamente através de comprimidos ou indiretamente, adicionados a alimentos manufaturados como leite, margarina, biscoitos, etc., e as pesquisas tem buscado contribuir para o uso prudente desses suplementos. Descobriu-se que as vitaminas A, C e E ao lado do Zinco e do Selênio, são Antioxidantes, podendo ajudar a prevenir doenças cardíacas, artrite, diabetes e processos degenerativos do envelhecimento. Todas as outras vitaminas têm uma função específica e um papel protetor no organismo humano. Os suplementos vitamínicos não são um substituto dos alimentos e não podem ser ingeridos sem eles. Não são uma compensação para a má alimentação, mas fortalece a boa dieta alimentar. As vitaminas e sais minerais agem em conjunto entre si e uma dose excessiva pode perturbar o equilíbrio do organismo. Uma suplementação adequada de vitaminas (e sais minerais) vai assegurar a quem a ingere, o consumo das quantidades corretas para a perfeita manutenção da saúde.

As vitaminas atuam de modo mais eficaz quando ingeridas ao logo do dia. A melhor hora para se tomar a maioria dos suplementos vitamínicos é durante as refeições. As vitaminas por serem substâncias orgânicas devem ser ingeridas com outros alimentos e sais minerais para serem melhor absorvidas.

A maioria das vitaminas pode ser tomada com segurança, mas no caso de pessoas com problemas de saúde crônicos, ou de uma doença específica ou com finalidades antioxidantes, é necessário que seja feita a prescrição por um Médico Especialista em Nutrologia, que vai verificar com segurança se a pessoa tem alguma deficiência vitamínica e indicará a combinação adequada de vitaminas e sais minerais que atuarão em conjunto para tornar mais saudável quem as ingerir.
 

Megadoses de vitaminas

A Medicina Ortomolecular preconiza o uso de megadoses de vitaminas por entender que as recomendações de dosagem feitas desde as primeiras décadas do século XX, baseava-se na indicação de vitaminas necessárias para pessoas com uma alimentação saudável e correta em termos vitamínicos e sem nenhum problema de saúde.

Por ser a Vitamina uma Coenzima e quando temos uma  Haloenzima, ou seja Coenzima + Apoenzima, em um sistema de holoenzima mal funcionante devido a problemas de ligação da apoenzima, então ao fornecermos altas doses (megadoses) da vitamina (que é a coenzima), haverá uma maior possibilidade de ligação com a apoenzima, fazendo assim o sistema de holoenzima se reequilibrar, justificando assim a megadose vitamínica.

O Prof. Linus Pauling, duas vezes vencedor do Prêmio Nobel e campeão da vitamina C, foi uma das primeiras pessoas a se interessar seriamente pelos efeitos da ingestão de altas doses de vitaminas na prevenção e cura de doenças. Relatam curas em casos de alcoolismos, hiperatividade infantil, dependência de algumas drogas, osteoartrite, "neurite", esquizofrenia, depressão e outros problemas psiquiátricos.

Os criadores da psiquiatria ortomolecular sugerem que variando-se as concentrações de substâncias normalmente presentes no organismo humano, poderemos ajudar a doença mental. Segundo esses teóricos, as diversas células do cérebro necessitam de nutrientes muito diferentes; as células cerebrais e nervosas, por exemplo, precisam de muito mais vitaminas B e C do que outras partes do organismo.
Para o cérebro funcionar normalmente ele precisa, pelo menos das vitaminas riboflavina, nicotinamida, piridoxina, cianocobalamina, ácido ascórbico, e ácido fólico. Existem outras substâncias químicas essenciais ao funcionamento sadio do cérebro e nós estamos apenas engatinhando no que diz respeito ao conhecimento da bioquímica cerebral.
Livros inteiros tem sido escritos acerca do valor da terapia das megavitaminas para essas doenças e muitos relatórios de pesquisas mostram excelentes resultados.

É tentador achar que todos os relatórios são válidos e a cura para males como o alcoolismo, esquizofrenia, algumas doenças mentais, dependências de drogas e hiperatividade infantil estão ao alcance das mãos.
Os bioquímicos e os psiquiatras, em sua maioria, recusam-se a aceitar a existência de uma justificativa adequada para a prescrição de doses maciças de vitaminas principalmente por haver tão poucas provas convincentes. O que é preciso são testes controlados sérios para examinar cada área em que se afirma que as megavitaminas funcionam.
Os remédios simples são sempre mais atraentes, especialmente quando se trata de problemas complexos.
A Terapia das Megavitaminas é um desses remédios simples. Só o tempo e as pesquisas poderão provar se ela é realmente útil.
 

AS VITAMINAS MAIS CONHECIDAS


INFORMAÇÕES  GERAIS

Se apresenta em 2 formas, o Retinol, encontrado em produtos animais e o Betacaroteno, encontrada em frutas e vegetais de cores fortes e que o nosso corpo converte em Vitamina A quando precisa. Foi durante muitos anos chamada de vitamina “milagrosa” por seu efeito sobre o sistema imune e sua importância no crescimento. O Betacaroteno é um antioxidante, ou seja, combate os Radicais Livres no nosso organismo.
DEFICIÊNCIA
Cegueira noturna, alterações da córnea e da conjuntiva, dores de cabeça persistentes, baixa resistência a infecções (especialmente respiratória), problemas de pele (hiperqueratose), cabelos secos e quebradiços, cálculos renais.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Anticarcinogênica, previne o envelhecimento da pele, aumenta a visão e previne a cegueira noturna, aumenta a capacidade de cura do organismo, promove o crescimento e a saúde dos ossos, cabelos, dentes, pele e gengiva, ajuda no tratamento do hipertireoidismo. É utilizada na Displasia Mamária, pois é indispensável para a integridade estrtural das células epiteliais da mama.
TOXIDADE
A vitamina a na forma de retinol é tóxica e nunca deve ser tomada por grávidas. O betacaroteno não é  tóxico, sendo considerado seguro tanto para adultos como para crianças. Os sintomas de hipervitaminose são hepatomegalia (aumento do fígado), anemia, alterações periósteas e queda de cabelo
FONTES  NATURAIS
Cenoura, leite e seus derivados, ovos, fígado, couve, mamão, laranja, manga,  melão, melancia, pêssego, espinafre, couve de Bruxelas, brócolis, batata-doce, inhame, abóbora, abricó, etc.

 


A vitamina B foi a primeira das vitaminas solúveis em água a ser descoberta. Em 1897, Christian Eijkman (1858-1930), na foto ao lado, médico do exército holandês, pensava que o Béri-Béri era uma infecção dos soldados.  Ele estava em Jacarta (Indonésia, então colônia da Holanda), nos fins do século 19, estudando uma doença chamada Béri-Béri. Acidentalmente ocorreu um surto desta doença entre as galinhas do hospital onde trabalhava. Eijkman tentou, em vão, isolar a bactéria que estava causando a doença nas galinhas (na época achava-se que esta doença, como a maioria delas, era causada por germes). Subitamente, logo após a contratação de um novo cozinheiro para o hospital, a doença desapareceu. Eijkman investigou o assunto e descobriu que o novo cozinheiro passou a alimentar as galinhas com arroz não beneficiado (com cascas) pois este achava que arroz polido não era muito bom para galinhas. Eijkman passou então a controlar perfeitamente o aparecimento ou não da doença nas galinhas com adição ou retirada do arroz com cascas para as galinhas,sendo, assim,  considerado o descobridor da vitamina B.

Outros médicos entretanto já haviam identificado o problema do Béri-Béri, pois este era muito comum nos marinheiros japoneses que tinham dieta monótona de arroz polido e peixes. Perto de 1880 Kanehiro Takaki estudou o problema dos marinheiros japoneses e resolveu acrescentar alguns itens da alimentação dos marinheiros ingleses na alimentação dos japoneses. Takaki acrescentou cevada, carne e leite à alimentação dos marinheiros e a doença desapareceu.

A interpretação de Takaki estava errada, entretanto, pois ele achava que a causa do Béri-Béri era falta de proteínas. Em 1932 outro japonês, o bioquímico S. Ohdake, identificou átomos de enxofre na vitamina B, e então o nome de "Tiamina" passou a ser usado para esta vitamina (o prefixo ti- vem do grego tion, significando enxofre). Com o tempo descobriu-se que a vitamina B na realidade era um conjunto de vitaminas, todas solúveis em água, que curavam doenças diferentes e passou-se a usar subscritos para se identificar estas vitaminas tais como B1, B2 ... até B17. Hoje em dia chama-se de complexo de vitaminas B este conjunto.



INFORMAÇÕES  GERAIS
A Tiamina ou Aneurina pertence ao grupo das vitaminas hidrossolúveis as necessidades de tiamina dependem da quantidade de ingestão de carboidratos: quando as alimentações são ricas em carboidratos, o perigo de se desenvolver hipovitaminose é maior. A Tiamina está relacionada com todos os processos metabólicos importantes do sistema nervoso, coração, células do sangue e músculos. Útil no tratamento de distúrbios nervosos, é excepcional contra desequilíbrios causados pelo alcoolismo. Há mais casos de deficiência de vitamina B1 que quaisquer outros, provavelmente por causa do alto índice de alcoolismo. O arroz polido e alimentos processados ou frutas secas que são tratadas industrialmente pelo dióxido de enxofre, perdem toda a vitamina B1 existentes originalmente
DEFICIÊNCIA
Beribéri, fadiga, debilidade muscular, perda de apetite, irritabilidade, depressão, memória fraca, formigamento nos dedos e sola dos pés, indigestão, náuseas, insônia.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Ajuda a converter açúcar em energia nos músculos e ossos, protege contra desequilíbrios causados pelo consumo de álcool, pode ajudar no tratamento de doenças neurológicas, pode ajudar no tratamento da anemia, pode aumentar a agilidade mental. A Tiamina em altas doses, por mecanismo ainda não conhecido, facilitaria a excreção do chumbo pela urina, em pessoas intoxicadas por este metal pesado, devido a Tiamina ser eliminada pela pele, pode ajudar como um "repelente de insetos", como moscas e mosquitos.
TOXIDADE
Não há relatos de toxidade.
FONTES  NATURAIS
Arroz integral, gérmen de trigo, espinafre, couve-flor, nozes, sementes de girassol, amendoim, feijões, abacate, carne de porco,etc




INFORMAÇÕES  GERAIS
A Riboflavina é uma integrante hidrossolúvel da família de vitaminas do complexo B. Ela é crucial para a produção de energia corporal e tem propriedades antioxidantes. Ela não é armazenada em grandes quantidades no corpo e sua deficiência é comum e a fadiga crônica pode indicar uma leve deficiência.
DEFICIÊNCIA
Os sintomas freqüentes manifestam-se na pele e mucosas, como as fissuras dos cantos da boca ("boqueira"), alterações inflamatórias dos lábios (queilite) e da língua (glossite), eczema na pele e na genitália, queimação da pele, fadiga e perda geral de vitalidade, queda de cabelos, queimação ou secura dos olhos, retardo do crescimento em crianças. É mais comum ocorrer catarata em pessoas com deficiência de B2.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Ajuda a metabolizar gorduras, proteínas e carboidratos, melhora a visão, estimula funções reprodutoras saudáveis, aumenta o desempenho atlético, protege contra a anemia.
TOXIDADE
É tóxica em doses muito elevadas e os sintomas, embora raros e mínimos, são comichão e queimação da pele.
FONTES  NATURAIS
Levedo de cerveja, fígado, língua e outras vísceras, leite, queijos duros, peixes como a truta, arenque,  cavala, enguia e savelha, algas marinhas, repolho, ovos, sementes de girassol, arroz selvagem, aspargo, brócolis, espinafre, cogumelos,
abacate, frutas tropicais, etc.



INFORMAÇÕES  GERAIS
A Niacina, Ácido Nicotínico ou Niacinamida ou Vitamina PP, é essencial para a síntese dos hormônios sexuais e a saúde do sistema nervoso, além de atuar como desintoxicante, eliminando do corpo toxinas, poluentes e drogas, pode também ajudar a reduzir as alucinações em esquizofrênicos, por bloquear a DMT (Dimetil-Triptamina) que está elevada nesses doentes, sendo esta DMT uma das causas dos surtos alucinatórios nos esquizofrênicos. O Ácido Nicotíco (Ácido Piridino-3-carbônico) é o precursor da
Nicotinamida um componente das coenzimas que transferem hidrogênio; o Nicotinamida-Adenina-Dinucleotídeo (NAD) e o Nicotinamida-Adenina-Dinucleotídeo-Fosfato (NAD-P).
O Ácido Nicotínico pode ser formado a partir do aminoácido Triptofano no organismo, de maneira que a hipovitaminose evidente só aparece quando existe uma carência simultânea de Triptofano. A Vitamina B3 foi isolada pela primeira vez durante a oxidação da nicotina do tabaco, quando foi lhe dado o nome de Nicotinic Acid Vitamin, abreviado para Niacin.
A Niacina é a mais estáveis das vitaminas do complexo B. Ela é resistente aos efeitos do calor, da luz, dos ácidos e álcalis, é solúvel tanto em água quanto em álcool e uma
parte dela é armazenada no fígado. Age na degradação do álcool etílico, reduzindo os teores do acetaldeído no organismo
DEFICIÊNCIA
A doença carencial é a Pelagra, que se caracteriza pela Tríade-D: Dermatite, Diarréia e Demência. As alterações de pele nas áreas expostas ao sol foram as que originaram o nome da doença (pella agra= pele áspera). Os eritemas são seguidos por atrofia da pele e pigmentação. As mucosas apresentam alterações inflamatórias (glossite, estomatite, gastrite) e as alterações do sistema nervoso central manifestam-se por alucinações e delírios.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Estimula a digestão saudável, reduz a hipertensão arterial, pode prevenir a enxaqueca, ajuda na respiração celular, produz energia a partir de açúcar, gordura e proteínas, mantém saudáveis a pele, os nervos e  a língua,  pode baixar o colesterol e proteger contra doenças cardíacas.
TOXIDADE
Em altas doses, aparecem os seguintes sintomas: depressão, mau funcionamento do fígado, rubor e dor de cabeça.
FONTES  NATURAIS
Fígado e outras vísceras, galinha, ervilha, tâmara, figo, cereais integrais,  ameixa, abacate, peixes, amendoim, trigo integral, leite, ovos, etc.




INFORMAÇÕES  GERAIS
O Ácido Pantotênico ou Pantotenato, tornou-se um suplemento muito conhecido nas últimas décadas por sua capacidade de incrementar os níveis de energia e melhorar a resposta imunológica e há evidências de que pode baixar o colesterol. Ultimamente tem sido feito pesquisas no seu uso como "anti-envelhecedor". por seu suporte às supra-renais e adequada produção dos hormônios corticosteróides e por sua  ação na artrite é chamada de "anti-inflamatório natural". A vitamina B5 também é produzida pela flora intestinal, uma outra importante fonte desta vitamina no organismo humano.
DEFICIÊNCIA
Devido estar disponível em grande parte dos alimentos a sua deficiência é incomum, exceto em pessoas que fazem uma alimentação de alimentos altamente processados, principalmente em adolescentes que só comem "fast-food", pois a atividade da vitamina B5 é perdida durante o refinamento dos alimentos. os principais sintomas de deficiência são: vômitos, câimbras, fadiga, insônia, baixa resistência às infecções, hipoglicemia, depressão, hipocloridria gástrica, dor abdominal, hemorragia e destruição das glândulas supra-renais. O uso de medicamentos que destroem a flora intestinal, como os antibióticos, especialmente as tetraciclinas, podem causar problemas na produção da vitamina B5 a partir da flora intestinal.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Estimula a cura de ferimentos, melhora o sistema imunológico, previne a fadiga, baixa os níveis de colesterol e protege contra as doenças cardíacas, previne e trata a artrite. Tem sido usada também no tratamento da  asma, herpes simplex, alcoolismo, bruxismo,
psoríase, depressão, perda da memória, alergias (inclusive alimentar), Lupus e doenças desmielinizantes, como polineurites e esclerose múltipla.  A vitamina B5 tem sido usada após cirurgias, quando há uma paralisia dos intestinos, por estimular o peristaltismo intestinal.
TOXIDADE
É muito rara, mas em doses prolongadas acima de 1.500 mg/dia, observou-se uma sensibilidade superficial nos dentes. Acredita-se que o excesso da vitamina B5 pode causar um desequilíbrio nas outras vitaminas do complexo B.
FONTES  NATURAIS
Carne, cereais integrais, farelo, rins, nozes, frango, melado, gema de vos, peixe, queijo, amendoim, feijões, batata doce, couve-flor, ervilhas, abacate, etc.



INFORMAÇÕES  GERAIS
Ou Piridoxina, é necessária para que a vitamina B12 seja absorvida. Além disso é requerida para o funcionamento de mais de 60 enzimas do corpo e também para a síntese de proteínas. De todas as vitaminas B, a B6 é a mais importante para a saúde do sistema imunológico, e acredita-se que protege contra alguns tipo de câncer. É largamente usada contra os sintomas da TPM e da menopausa e pode curar algumas formas de infertilidade.
DEFICIÊNCIA
Anemia, distúrbios nervosos, fadiga, problemas de pele.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Aumenta a imunidade, ajuda a controlar o diabetes, assimila proteínas e gorduras, trata sintomas da TPM, deve ser ingerida por mulheres que utilizem pílula anticoncepcional pois esta prejudica a vitamina B6, reduz câimbras e espasmos musculares, age reduzindo a transformação da testosterona em DHT (di-hidro-testosterona), com isso auxilia no tratamento da a calvície e acne por excesso de DHT. Atua como diurético natural, protege contra o câncer, etc. Tem sido utilizada no Autismo e na Displasia Mamária, influi na atividade dos hormônios esteroidais, melhorando o metabolismo hepático dos estrógenos (hormônios femininos), além de e estimular a síntese de Dopamina e inibir a produção da Prolactina.
TOXIDADE
É tóxica quando ingerida em altas doses causando sérios danos aos nervos.
FONTES  NATURAIS
Levedo de cerveja, fígado, rins, coração, melão, repolho, melado, ovos, etc.



INFORMAÇÕES  GERAIS
Conhecida também como Ácido Fólico ou Folacina ou Vitamina BC ou Ácido Pteroilglutâmico, que em descobertas recentes indicam poder prevenir alguns tipos de câncer e malformações congênitas, além de ser útil no tratamento de doenças cardíacas. A vitamina B9 é essencial para a divisão das células do corpo e é requerida para a utilização da glicose e de aminoácidos. Ingerida desde antes da concepção e em especial no primeiro trimestre da gravidez, a vitamina B9, pode prevenir a espinha bífida.
DEFICIÊNCIA
Fraqueza, letargia, fadiga extrema, falta de sono, irritabilidade, debilidade mental.
Possível espinha bífida.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Melhora a lactação, melhora a pele, analgésico natural, dá resistência à infecção em crianças,  é essencial à transmissão do código genético (DNA), previne a espinha bífida, etc.
TOXIDADE
É tóxica em grandes doses e pode causar graves problemas neurológicos. Não pode ser tomado por pessoas com anemia por deficiência de vitamina B12.
FONTES  NATURAIS
Vegetais de folhas verde-escuras, cenoura, fermento, fígado, cereais, abacate, gema do ovo, melão e damasco.



INFORMAÇÕES  GERAIS
A Cobalamina ou Cianocobalamina é a única vitamina que já contém sais minerais essenciais. Ela é essencial para a saúde do metabolismo dos tecidos nervosos e sua deficiência pode causar danos ao cérebro e distúrbios neurológicos. A vitamina B12 existe em diversas formas, denominadas B12, B12 a, B12 b, B12c, B12 f, B12 m, B12 s. A forma B12a resulta associação da luz sobre uma solução aquosa da vitamina em presença de catalisadores. As propriedades químicas, físicas e biológicas das diferentes variedades são praticamente idênticas, exceto para a B12a, que se supõe inexistente no estado natural. Essa vitamina se encontra no fígado, carne bovina e suína, ovo, leite, queijo, rim. 
.A vitamina B12 pode  reduzir o risco de câncer e a severidade das alergias, assim como aumentar os níveis de energia. Chegou a ser considerada uma “droga maravilhosa” e era administrada em injeções para rejuvenescer.
DEFICIÊNCIA
Anemia perniciosa, problemas menstruais, deterioração mental, tremores.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Aumenta a memória e a concentração é requerida para aproveitar gorduras, carboidratos e proteínas, protege contra elementos alérgenos e tóxicos, AIDS,  esclerose múltipla, neuropatia diabética, herpes zoster, depressão em idosos, etc . É melhor absorvida em forma injetável ou sublingual (gotas ou tabletes).
TOXIDADE
Não oferece toxidade.
FONTES  NATURAIS
Fígado, carne vermelha, carne de porco, ovos, queijos e leite.




INFORMAÇÕES  GERAIS
Ou Biotina ou Coenzima-R, não é uma vitamina verdadeira, mas funciona com as vitaminas do complexo B, também sendo hidrossolúvel. A Biotina é eliminada do corpo por excesso de álcool, alimentos cozidos ou refinados e antibióticos. É essencial para o metabolismo normal de gorduras e proteínas. O ovo tem muita Biotina na gema, mas a clara crua contém Avidina, uma proteína que impede a absorção da Biotina, então praticantes de exercícios que ingerem grandes quantidades de derivados da clara do ovo têm de ingerir Biotina na forma de suplemento. Funciona mais eficazmente com as vitaminas B2, B3, B6 e A .
DEFICIÊNCIA
Eczema, fadiga, diminuição do metabolismo das gorduras
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Alivia dores musculares, previne os cabelos brancos, trata o eczema, dermatite e outras doenças de pele e pode ajudar a prevenir a calvície.
TOXIDADE
Não há relatos de toxidade.
FONTES  NATURAIS
Nozes, frutas, carne vermelha, fígado, gema, leite, rins, arroz não-polido e levedo de cerveja.



INFORMAÇÕES  GERAIS
O Ácido Ascórbico é a vitamina, sob forma de suplemento, mais utilizada em todo o mundo e ainda assim as pesquisas indicam que uma grande parte da população tem deficiência. É uma das mais versáteis vitaminas necessárias à vida. A vitamina C natural se encontra em forma reduzida (Ácido Ascórbico) e oxidada (Ácido Dehidroascórbico), esta última a concentração é muito menor.
É uma das vitaminas Antioxidantes e que, entre as suas muitas funções, acredita-se que aumente a imunidade e combata o câncer e as infecções. Regera a vitamina E no organismo, depois que esta age contra os Radicais Livres. É imprescindível para a formação do colágeno. O melhor meio de ingeri-la, como suplemento,  é sob  a forma de Ascorbato, que é mais potente que o Ácido Ascórbico, ou então na apresentação “time release” de liberação gradativa, pois a vitamina C por ser hidrossolúvel, todo o excesso é logo excretado pelos rins.
DEFICIÊNCIA
Fraqueza, baixa capacidade de cura, irritabilidade, sangramento nas gengivas, facilidade de se ferir, perda de dentes, dores nas juntas, flacidez de pele, escorbuto
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Antioxidante, acelera a cura de ferimentos, mantém a saúde de ossos, dentes e órgãos sexuais, atua como anti-histamínico natural, pode ajudar a superar a infertilidade masculina, reduz a duração de resfriados e outras viroses, auxilia no tratamento do stress.
TOXIDADE
Pode causar pedras nos rins e gota em algumas pessoas. Em doses muito altas pode dar diarréia e câimbras.
FONTES  NATURAIS
Todas as frutas cítricas, especialmente laranja, limão, acerola, kiwi, frutas silvestres (fruto da roseira, groselha preta, etc), brócolis, batata inglesa, batata doce, couve-flor, tomate, fígado e todos os vegetais.





INFORMAÇÕES  GERAIS
Ou Calciferol, é lipossolúvel e pode ser produzida na pele a partir da energia do sol, sendo que a luz solar é necessária para o nosso corpo sintetizá-la, já que não é encontrada em grande quantidade nos alimentos. É importante para a absorção do Cálcio e Fósforo e ajuda a regular o metabolismo do Cálcio e junto com a vitamina K age na fixação do mesmo nos ossos. Pesquisas indicam que pode influenciar na proteção contra alguns tipos de câncer e doenças infecciosas. É a única vitamina deste grupo encontradas nos organismos de animais superiores, formada por via fotoquímica a partir do 7- dehidrocolesterol (provitamina animal). Nas plantas se encontram como substancias de intenso efeito antiarrítimico (coração). Outras vitaminas D com estrutura química conhecida são: D2, D4, D5, D6. 
Seus nomes científicos são: Vitamina D2 = Ergocalciferol, Vitamina D3 = Colicalciferol,     Vitamina D4 = 22- Dehidroergosteferol, Vitamina D5 = 7- Dehidroergosteferol, Vitamina D6 = 2- Dehidroergosteferol 

Raquitismo, osteomalácia, dor nos ossos, debilidade e espasmos musculares, osteoporose.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Protege contra a osteoporose, ajuda no tratamento da psoríase, melhora o sistema imune, é necessária para se ter ossos e dentes fortes.
TOXIDADE
É a mais tóxica de todas as vitaminas e pode causar náuseas, vômitos, dores de cabeça e depressão.
FONTES  NATURAIS
É encontrada na cavala, sardinha, bacalhau e todos os óleos de peixe.

 

 

Vitamina D e Alzheimer

A Vitamina "D" protege o cérebro contra formação do peptídeo Beta-Amilóide no "Mal de Alzheimer". O peptídeo beta-amilóide no cérebro dos pacientes com Alzheimer é um aspecto fisiopatológico importante da doença.
A reação das proteínas cerebrais com resíduos de açucar (amilóides) caracteriza o fenômeno da "glicação", marcante nos processos degenerativos.
Na regeneração nervosa a síntese cerebral depende da Vitamina D, mas o avanço do peptídeo beta-amilóide bloqueia os receptores da Vitamina D, impedindo a liberação do NGF (Nervous Growth Factor), necessário para regeneração da árvore neuronal, axônio e glia.
A boa notícia é que a Vitamina D pode reverter o processo e proteger o cérebro da formação beta-amilóide.

 

Deficiência de vitamina D pode desencadear Hipertensão

Pesquisadores britânicos comprovaram a relação causal já sugerida em outros estudos. Eles apresentaram seu trabalho na conferência anual da ESHG (European Society of Human Genetics) em Paris.

Cientistas da University College London se referiram a dados de 35 estudos nos quais 155.000 pessoas da Europa e América do Norte foram geneticamente analisadas. O estudo revelou que pessoas com concentrações altas de 25-hidroxivitamina D tinham a pressão arterial mais baixa.

Os cálculos, nos quais polimorfismos de nucleotídeo isolado foram usados como indicadores para o estado de vitamina D, mostraram que o risco de desenvolver hipertensão caiu em 8,1% a cada aumento de 10% no nível de vitamina D.

Esse estudo sugere fortemente que alguns casos de doença cardiovascular podem ser prevenidos com a suplementação de vitamina D ou alimentos fortificados, disse o autor do estudo, Vimal Karani S.

Em novos trabalhos, os cientistas querem examinar a conexão entre a vitamina D e as doenças cardiovasculares

 

Proposto mecanismo que liga o Autismo com diminuição dos níveis de vitamina D e síntese anormal de Serotonina

Uma hipótese formulada pelos pesquisadores Bruce N. Ames e Rhonda Patrick que são responsável por várias descobertas diferentes entre os pacientes autistas.
Em um artigo publicado no The FASEB Journal, a dupla propõe um mecanismo que explica como os níveis de vitamina D resulta em síntese anormal de Serotonina, o que leva a diminuição no desenvolvimento de distúrbios do espectro do autismo





INFORMAÇÕES  GERAIS
Ou Tocoferol, é lipossolúvel e uma das principais vitaminas Antioxidantes. É importante para a produção de energia e na manutenção da saúde em todos os níveis. Ao contrário da maioria das vitaminas lipossolúveis, a vitamina E é armazenada no corpo por pouco  tempo e até 75% das doses diárias são excretadas com as fezes. Influi na produção de energia, atuando nos níveis do colesterol, auxiliando na redução do risco de  doenças do coração. Tem importante ação nos tratamentos da TPM.
DEFICIÊNCIA
Não apresenta nenhum sintoma evidente, como nas outras vitaminas.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Antioxidante, anticoagulante, protege contra distúrbios neurológicos, trata dos problemas de pele, auxilia na prevenção do aborto, previne câimbras musculares e espasmos, estimula o sistema imunológico, usada como auxiliar nos tratamentos de impotência sexual e esterilidade. Por modular o equilíbrio estrogênio/progesterona na mulher, é utilizada no tratamento da Displasia Mamária.
TOXIDADE
Altas doses podem ser tóxicas e deve ser usada com cautela quando em combinação com drogas anticoagulantes.
FONTES  NATURAIS
Germe de trigo, soja, óleos vegetais, brócolis, verduras, cereais integrais e ovos.



INFORMAÇÕES  GERAIS
A Menadiona é lipossolúvel sendo fundamental na coagulação sangüínea.Se conhecem diversas formas naturais de vitamina K. A vitamina K1, contém uma só cadeia lateral não saturada de 20 átomos de carbono, e as formas de vitamina K2, sendo cadeias laterais múltiplas não saturadas de 30 átomos de carbono. [ K2 (30) ] e de 35 [ K2 (35) ]. A vitamina K se encontra nas clorofilas das plantas, onde desempenha um importante papel na fotossíntese. As vitaminas naturais são solúveis na gordura e bastante estáveis no calor. São encontradas no iogurte, alfafa, gema de ovo, óleo de açafrão, óleo de soja, óleo de fígado de peixe, algas e verduras. 
 Atua diretamente na síntese de Protrombina e outras proteínas importantes à coagulação do sangue. Com a ajuda do Cálcio e Potássio, auxilia na conversão de protrombina em trombina, que é necessário na formação do fibrinogênio. Junto com a vitamina D, promove a síntese de Osteocalcina, proteína responsável pela fixação do cálcio na matriz óssea.
DEFICIÊNCIA
É bastante rara.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Artrite reumatóide, Osteoporose, doenças hemorrágicas, no pré-cirúrgico, hipermenorréia e dismenorréia, insuficiências hepáticas
TOXIDADE
Não há relatos, raramente pode causar flush cutâneo, sudorese e sensação de opressão no peito.
FONTES  NATURAIS
Couve-flor, chá verde, espinafre, brócolis, alface, couve, fígado, agrião, aspargo.


AS VITAMINAS MENOS CONHECIDAS

Alguns fatores alimentares têm características de vitaminas,mas, por várias razões, não são classificados como vitaminas. Alguns deles têm sido observados apenas em animais (não os humanos). Outros podem ser sintetizados em alguma extensão no corpo, mas necessitam de suplementação dietética em períodos de tensão. Alguns são simplesmente substâncias que são conhecidas por ocorrerem em tecidos humanos para o qual nenhuma finalidade foi ainda identificada.


INFORMAÇÕES  GERAIS
Também chamado Ácido Orótico é um nutriente essencial à síntese do RNA e DNA, sem características das outras vitaminas, já que pode ser produzida a partir da estrutura dos aminoácidos.
DEFICIÊNCIA
Os sintomas de deficiência e enfermidades relacionados a esta vitamina ainda são incertos.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Tem sido utilizado no tratamento da esclerose múltipla e na forma de Orotato de Lítio como antidepressivo. Possivelmente, previne determinados problemas do fígado e envelhecimento precoce. Ajuda no tratamento de esclerose múltipla. 
TOXIDADE
Não há relatos
FONTES  NATURAIS
Laticínios e raízes, especialmente a cenoura e no soro do leite




INFORMAÇÕES  GERAIS
É o
Ácido Pangâmico ou Dimetilglicina (DMG),  é um nutriente hidrossolúvel e parece estimular de forma inespecífica o sistema endócrino como um todo, participa também dos processos de oxidação da glicose e respiração celular. É conhecido como “a vitamina anti-fadiga dos atletas” por prolongar o treinamento. Ele auxilia a respiração celular e é capaz de neutralizar substâncias tóxicas, tais como o álcool, acelerando sua oxidação e portanto eliminando seus efeitos. Ele realiza um papel ativo na insuficiência cardíaca por aumentar o uso de oxigênio pela célula. Ele também exerce um efeito protetor no fígado.

       Usado como tônico muscular – geralmente na forma de Pangamato de Arginina –, seu efeito benéfico durante o exercício físico tem sido provado, principalmente nos esportes de resistência. Ele intervém na duração do esforço, reduzindo o uso de glicogênio e o acumulo de ácido lático. Ele melhora a respiração celular a nível das mitocôndrias e assim permite ao atleta suportar melhor o esforço muscular intenso e prolongado, facilitando também a recuperação.
Mais de 30 anos atrás, Rimland iniciou um estudo de como a vitamina B6, necessária para a produção de serotonina e outros neurotransmissores, devem ajudar as crianças autistas. Desde então, ele e outros pesquisadores têm publicado 18 estudos médicos demonstrando que a Vitamina B15 juntamente com a B6 e o Magnésio, pode reduzir os sintomas do autismo.

DEFICIÊNCIA
Não há relatos
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Preparação de atletas, melhorando a resistência e diminuindo o acúmulo de ácido lático nos músculos durante os exercícios, potente ação imunoestimulante, age na fadiga crônica, depressão, no envelhecimento prevenindo a aterosclerose, melhora as funções cardíacas e circulatórias.
TOXIDADE
Não há relatos
FONTES  NATURAIS
Cereais integrais, levedo de cerveja, fígado e algumas sementes, especialmente as de girassóis.




INFORMAÇÕES  GERAIS
Conhecida também como Laetrile ou Amigdalina. Depois de muitos anos de pesquisa, o bioquímico Dr. Ernst T. Krebs, Jr (curiosidade: Krebs em alemão significa câncer) isolou em 1950 uma nova vitamina a que numerou como B17, ficou famosa por ter sido apontada como a cura do câncer. Na ocasião, as multinacionais farmacêuticas, incapazes de patentear a descoberta, lançaram uma forte campanha contra a B17. Em 1974, o autor G. Edward Griffin lançou o livro "World Without Cancer" (O Mundo Sem Câncer), divulgando novas teorias sobre a doença. No fim das contas, o que se diz é que as chamadas substâncias e hábitos cancerígenos simplesmente expõem deficiências de vitamina B17, fazendo aparecer o câncer.

Essa substância altamente concentrada nas sementes de damascos e de outras frutas, supostamente era usada cerca de 3.500 anos atrás pelos médicos chineses no tratamento de tumores. Foi o renomado bioquímico Ernest Krebs Jr., Phd, quem identificou especificamente a amigdalina como agente anti-câncer. Sua descoberta se baseou numa teoria de que o câncer se desenvolve a partir de células trofoblásticas desordenadas; essas são células encontradas no útero humano prenhe e que se multiplicam rapidamente durante as primeiras semanas após a concepção. Em condições normais e saudáveis, as células trofoblásticas são
destruídas pela enzima pancreática, a quimiotripsina; quando escapam dessa destruição elas conseguem se alojar no embrião e permanecer nele em estado de dormência, durante décadas, esperando para se desenvolverem num tumor quando o pâncreas perde sua função.

Ja se sabe que a amigdalina tem um potencial bastante forte para combater o câncer, especialmente com relação aos cânceres secundários. Estudos epidemiológicos, laboratoriais e clínicos todos apresentam evidências da eficácia da amigdalina. As pesquisas indicam que ela pode estender o período de vida tanto de paciente de câncer de mama quanto de ossos. Ralph Moss, PhD., foi dispensado do Hospital Memorial Sloan-Kettering quando denunciou uma aparente ocultação de informação por parte das autoridades de lá sobre descobertas positivas com relação a amigdalina.
Segundo Moss, descobertas feitas por pesquisas subseqüentes sobre a amigdalina forma consistentemente omitidas pela industria farmacêutica, provavelmente pelo fato de a substância não ser patenteável.

A amigdalina é um dos muitos nitrilósidos, que são substâncias naturais que contém cianida e que são encontradas em alimentos, inclusive em todas as sementes da família das prunasinas (damascos, maçãs, cerejas, ameixas e pêssegos), trigo sarraceno, painço e os melões caipira. A amigdalina se constitui de 2 moléculas de açúcar, um benzaldeído e um radical de cianida.

No organismo, as duas moléculas de açúcar são separadas no fígado pela enzima beta glucosidase e são substituídas pelo ácido glicurônico. O resultado disso é uma toxicidade seletiva para as células cancerígenas e uma não toxicidade relativa para as células cancerígenas e uma não toxicidade relativa para as células normais porque a enzima glicuronidase - a que separa os ácidos
glicurônicos - é alta em células cancerosas e baixa em células normais. Uma vez que o ácido glicurônico é separado, o restante do benzaldeído solta espontaneamente a cianida, que é tóxica para as células cancerosas.

Estudos apresentam evidência de atividade anti-câncer do benzaldeído. Já se verificou o prolongamento da sobrevivência entre aqueles cânceres inoperáveis avançados depois de um tratamento com benzaldeido intravenoso; e foram observadas respostas anti-tumorais em pacientes com várias formas de câncer metastáticos avançados (de pulmão, fígado, estômago, próstata e ossos)
Um outro mecanismo que protege as células normais da cianida é o fato de elas conterem uma enzima conhecida como rodanase ou transferase de enxofre, que acrescenta um átomo de enxofre a qualquer cianida livre para formar o tiocianato, que é uma substância relativamente inofensiva. As células de câncer não tem uma quantidade significativa dessa enzima. Os níveis de
tiocianato no sangue podem ser usados para ajudar na monitoração da dose adequada.

DEFICIÊNCIA
A essencialidade vitamínica ainda não está confirmada
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Sua utilização tem sido exclusivamente nos tratamentos de câncer.
TOXIDADE
Não há relatos
FONTES  NATURAIS
Damasco,  pêssego, ameixas, cerejas, maçãs.




INFORMAÇÕES  GERAIS
Os chamados Bioflavonóides, são substâncias hidrossolúveis, existindo mais de 500 Bioflavonóides ocorrendo na natureza, dentre os quais destacam-se por sua atividade biológica a Quercetina, Rutina, Hesperidina, Antocianidina, Catequina, Citrina e a Esculina. Sua absorção é fácil e ocorre em associação a vitamina C e tal como ela, sua armazenagem no organismo é muito pequena e a eliminação faz-se pela urina e suor. As principais funções dos Bioflavonóides parece ser o auxílio na absorção da vitamina C  e evita que a Vitamina C seja destruída pela oxidação. Fortalece as paredes dos vasos capilares, evitando assim as equimoses. Ajuda a aumentar a resistência às infecções. Previne e cura sangramentos de gengivas. Aumenta a eficácia da vitamina C. Auxilia no tratamento de edemas e torturas resultantes de alterações no ouvido e interno. 

DEFICIÊNCIA
Não há relatos
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Além do emprego da Própolis e do extrato de Ginkgo Biloba, cujas ações são decorrentes de seu alto conteúdo em bioflavonóides, utilizam-se os elementos em separado, como Rutina (varizes, hemorróidas, labirintite,TPM, psoríase, acne,etc.), Quercetina (estados alérgicos, asma, artrite reumatóide, intolerâncias alimentares, processos inflamatórios, etc.), Hesperidina (artrites, após traumatismos e na preparação de atletas pois previne lesões por microtraumas) e Antocianidina (poderoso antioxidante).
TOXIDADE
Não há relatos
FONTES  NATURAIS
Limão, laranja, lima-da-Pérsia, uva, damasco, cereja, ameixa, mamão, pimentões, brócolis, própolis, ginkgo biloba, etc.



INFORMAÇÕES  GERAIS
Também chamado de Mioinositol ou Mesoinositol. Faz parte do complexo B, mas não é considerado como uma verdadeira vitamina, já que pode ser produzido a partir da glicose. O uso intenso de cafeína, destrói as reservas do Inositol no organismo.

Atualmente tem sido muito utilizada por atletas em virtude de seu papel como potente agente lipotrópico, ou seja, atua transformando a gordura em fonte de energia.

Em conjunto com a folacina, com as Vitaminas B6 e B12 e a colina, o Inositol previne o acúmulo de gordura no fígado e por este caso foi, à princípio utilizado no tratamento de problemas hepáticos.

No tratamento de depressão e sua relação com o cérebro se explica pelo fato de os neurotransmissores Serotonina e Acetilcolina dependerem do Inositol para funcionarem apropriadamente. As baixas concentrações desses neurotransmissores podem resultar em depressão. Atualmente o benefício realmente comprovado do Inositol é a remoção de gordura do fígado, embora esteja relacionado à outras funções, como:

· Ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares;
· Ser necessário para a formação da lecitina;
· Ser fundamental ao metabolismo do colesterol e, portanto, ajudar a baixar os níveis de LDL (colesterol ruim);
· Ajudar no crescimento capilar;

DEFICIÊNCIA
Eczema, queda de cabelos, prisão de ventre, hipercolesterolemia, acúmulo de triglicérides no fígado e tendência à formação de placas de ateroma nas artérias.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Prevenção da aterosclerose, obesidade, degeneração gordurosa do fígado, eczema, insônia, ansiedade, neuropatia diabética, hipertensão arterial, hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia, esclerose múltipla, queda de cabelos, prisão de ventre.
TOXIDADE
Não há relatos
FONTES  NATURAIS
Lecitina de soja, grãos integrais, melão-cantalupe, frutas cítricas (exceto o limão), fígado, levedo de cerveja, germe de trigo, passas, repolho.




INFORMAÇÕES  GERAIS
A Colina, t
ambém faz parte do Complexo B e não é considerada uma verdadeira vitamina, sendo um componente essencial dos tecidos animais e tem sido classificada como tendo atividade similar à das vitaminas em animais de experimentação. Os humanos, entretanto, podem sintetizar colina a partir de Etanolamina e grupos Metil derivados do aminoácido Metionina, sob ação do Ácido Fólico e Vitamina B12, além de poder ser formada a partir do aminoácido Glicina, mas na maior parte do tempo, a colina vem dos fosfatídeos da dieta.
A ingestão de álcool e estrogênios pode causar sua depleção no organismo. Como parte da Acetilcolina, tem importante função no metabolismo cerebral.

DEFICIÊNCIA
Acúmulos patológicos de gorduras no organismo e alterações da membrana celular e da mielina que recobre os nervos. Sua deficiência tem sido relacionada com a gênese da Doença de Alzheimer, com deficiência de acetilcolina no cérebro.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
A única função da colina é como um componente de grandes moléculas. A Lecitina (fosfatidilcolina) é um componente estrutural das membranas celulares e das lipoproteínas plasmáticas, e funciona como um surfactante pulmonar. A Esfingomielina também é um componente estrutural. A Acetilcolina funciona como um neurotransmissor, tendo ações na
Hipercolesterolemia, falta de memória, Doença de Alzheimer, insuficiência hepática, prevenção da aterosclerose, obesidade, hipoglicemia, fadiga crônica, hipertensão arterial, palpitações, intoxicações, insônia, prisão de ventre, hepatite, esclerose múltipla.
TOXIDADE
Odor corporal semelhante ao de peixe.
FONTES  NATURAIS
Lecitina de soja, ovos, germe de trigo, peixes, amendoim, verduras, fígado, couve-flor, etc.



INFORMAÇÕES  GERAIS
O Ácido Para-Aminobenzóico ou PABA ou Vitamina H1, também é hidrossolúvel e tido como vitamina do complexo B, é parte da molécula do ácido Fólico e não pode ser sintetizado pelo organismo. É produzido por bactérias intestinais e sua presença nos intestinos é de fundamental importância à síntese do ácido Fólico.
DEFICIÊNCIA
Está ligada ao uso de sulfas e antibióticos que afetam sua produção pelas bactérias intestinais, causando fadiga, prisão de ventre, irritabilidade, depressão e embranquecimento dos cabelos.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Protetor solar (filtra os raios UV), na depressão, alivia dores de queimaduras solares e de outras origens, evita o embranquecimento dos cabelos, no vitiligo, na esquizofrenia, auxilia a síntese e a utilização do estrogênio em casos de infertilidade feminina, na Doença de Peyronie (fibrose do corpo cavernoso do pênis).
TOXIDADE
Intoxicação hepática, náuseas, vômitos, diarréia, anorexia, febre e rash cutâneo. Pode também, em doses muito elevadas a causar uma descoloração da pele
semelhante ao vitiligo.
FONTES  NATURAIS
Fígado, germe de trigo, cereais integrais, ovos, etc.



INFORMAÇÕES  GERAIS
Conhecido por Ácido Lipóico ou Ácido Tiótico, tem característica lipo e hidrossolúveis, o que confere à sua molécula capacidade de garantir sua presença tanto no interior quanto no meio exterior de nossas células. A sua relativa essencialidade, sua hidrossolubilidade e sua atuação na produção de energia leva a classificá-lo como uma vitamina do complexo B. Talvez seja o mais poderoso dos Antioxidantes
DEFICIÊNCIA
Não há relatos
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Pode inibir a replicação do vírus da AIDS, neuropatia diabética, previne a retinopatia e a cardiopatia diabética, elimina metais pesados (chumbo, mercúrio, cobre,etc), na esclerose múltipla, na hepatite alcoólica, protege as funções hepáticas, na falta de memória, nas conseqüências da exposição à radioatividade (foi usado em crianças vítimas do acidente de Chernobyl), etc.
TOXIDADE
Não há relatos.
FONTES  NATURAIS
Batatas, carne vermelha, fígado, germe de trigo, levedo de cerveja.




INFORMAÇÕES  GERAIS
A vitamina F é como são conhecidos os Ácidos Graxos Essenciais e correspondem aos Ácidos Linoléico, Linolênico e Araquidônico, que devido a posição química da ligação do átomo de Carbono na posição ômega da molécula do ácido graxo, são denominados Ômega 3, Ômega 6 ou Ômega 9. Como agentes terapêuticos, utilizam-se essas substâncias que, por estarem frequentemente deficientes na dieta, podem atuar em diversos desequilíbrios metabólicos. Alguns dos ácidos graxos essenciais com importância fisiológica são:
  • Série Ômega 3: Ácido Alfa-Linolênico, Ácido Eicosapentaenóico (EPA) e Ácido Docosahexaenóico (DHA)
  • Série Ômega 6: Ácido Linoléico, Ácido Gama-Linolênico (GLA) e Ácido Araquidônico
  • Série Ômega 9: Ácido Oléico e Ácido Nervônico


Os Ácidos Graxos Ômega 6 podem dar origem as Prostaglandina do grupo 1 (PGE-1) e do grupo 2  (PGE-2) e os Ácidos Graxos Ômega 3 podem dar origem as Prostaglandina do grupo 3 (PGE-3)
DEFICIÊNCIA
Está relacionado com deficiência no crescimento, doenças na pele, no tecido conjuntivo e nas articulações, atuem em diversos desequilíbrios metabólicos, interferem nos níveis do colesterol sangüíneo e estimulam as funções tireoidianas e adrenais. Também está relacionado com alopécia, crescimento da próstata, hiperatividade infantil, acne.
FUNÇÕES  ADICIONAIS
Reduz a formação das placas de ateroma nos vasos sangüíneos, eczema, acne, dermatite, aumenta a elasticidade da pele, controla a secreção sebácea, asma, alergia, artrite, TPM , displasia mamária, esclerose múltipla, hiperatividade infantil, lupus, depressão, esclerodermia, doenças auto-imunes
TOXIDADE
Não há relatos
FONTES  NATURAIS
Encontrados na maioria das sementes, germe de trigo, óleo de fígado de bacalhau, óleos vegetais de cor dourada (milho, soja, girassol, prímula), linhaça, salmão, sardinha, cavalinha, atum, etc.




INFORMAÇÕES  GERAIS
Conhecida  como o "Fator da Semente de Gergelim (Sésamo)", a vitamina T é achada nas sementes de gergelim e gema de ovos. Muito pouco se sabe sobre esta vitamina, exceto que ajuda na coagulação sanguínea e na formação de plaquetas. Devido a esses atributos, é importante para evitar algumas formas de anemia e de hemofilia. Não foi estabelecida uma dose diária recomendada, e não existem suplementos de vitamina T disponíveis no mercado para o público. É encontrada em sementes de gergelim e na gema do ovo, e não tem toxidade conhecida. 
Não se sabe ainda exatamente o que esta substância é, mas é útil prevenindo anemia e a hemólise dos glóbulos vermelhos. O Halvah (ao lado), uma comida de alto teor protéico feita de sementes de gergelim, ajudou a manter a marcha dos exércitos no tempo de Alexandre, o Grande. O Halvah (vulgo Halawa), é feito entre outras coisas com pasta de Sésamo (o Tahine) e normalmente é salpicado com pistaches. Também entra outras variações tal como chocolate e amêndoa e não não é considerado uma "sobremesa".Um uso muito tradicional é com uma banana madura amassada e colocado em Pão de Pita (Aish Shami).
TOXIDADE
Desconhecida
FONTES  NATURAIS
Sementes de gergelim e gema de ovos.




INFORMAÇÕES  GERAIS
Como ocorre com a Vitamina T não se conhece muito sobre a Vitamina U (estrutura na figura ao lado). Diz- se que tem papel importante na cura da úlcera, mas nas as opiniões dos médicos variam a esse respeito.
É encontrada no repolho cru e pode ser útil na cura de úlceras da pele e do trato intestinal e não se conhece nenhuma toxidade.
Este nutriente provavelmente é a Alantoína  que têm poder curativo sobre os tecidos sendo encontrado em ervas como a raiz do Confrey que é conhecido por ajudar a curar e acalmar a mucosa gastrintestinal.
O repolho, comumente consumido em culturas longevas como os Hunzas,
acredita-se ser um alimento enzimático muito importante.
TOXIDADE
Não há
FONTES  NATURAIS
Repolho cru e raiz de confrey.

 


INFORMAÇÕES  GERAIS
Cientistas japoneses descobriram uma substância - a Pyrroloquinolina Quinona (PQQ) (na figura ao lado, a estrututura da PQQ e as Quinoproteinas) - que atua no sistema imune e na fertilidade de cobaias. Segundo os pesquisadores, ela seria mais uma integrante da turma do complexo B, que não incorporou novos componentes desde a descoberta da B12, em 1948.
Para ser classificada como vitamina, uma substância deve desempenhar papel importante em determinados processos do organismo como, por exemplo, participar da ação de enzimas. No entanto, propriedades da PQQ vão muito além de fornecer este nutriente essencial.

¤ PQQ é um cofator redox com particularmente alta estabilidade molecular que pode efetuar entre milhares de transferências de elétrons se decompõe. Como resultado, tem até 5.000 vezes mais potência de antioxidante da vitamina c para efeito neutralizante superóxido e radicais livres de hidroxila.

¤ PQQ também promove biogenêse mitocondrial. Ela ativa os genes que controlam a reprodução das mitocôndrias, estimulando sua geração mesmo no envelhecimento das células. Com a idade, nossas células perdem mitocôndrias, resultando em um déficit de energia, associado com a maioria das doenças degenerativas. PQQ é a única substância conhecida para resolver este grave problema.

Os investigadores do Instituto de Pesquisa Física e Química de Tóquio alimentaram cobaias com dietas ricas em PQQ - encontrada no kiwi e na pimenta. Depois compararam os resultados nutricionais desse grupo com o de animais que não receberam boas doses da substância. No primeiro, a resposta imunológica foi bem superior.

Trata-se de um antioxidante super potente, até cinco mil vezes mais eficaz do que a vitamina C. É o único nutriente capaz de gerar novas mitocôndrias, até +20%, nas células existentes, incluindo nas células senescentes. Garante por si só a proteção do DNA mitocondrial, de longe o mais vulnerável e o mais exposto ao stress oxidativo.

¤ Foi igualmente demonstrado que a utilização da PQQ desenvolvia uma sinergia particular com a dos dois nutrientes mais validados para otimizar o funcionamento das mitocôndrias existentes: o ácido R-lipóico e a acetil L-carnitina. Pensa-se actualmente que a utilização concomitante de coenzima Q10 permite melhorar significativamente os benefícios derivados da toma de PQQ. O que não é de espantar, dado o papel importante da CoQ10 como carburante mitocondrial para propiciar a respiração celular e aumentar a produção de adenosina trifosfato (ATP).

¤ Estudos recentes mostram em particular melhores desempenhos cardiovasculares e cognitivos quando os dois nutrientes – PQQ e CoQ10 – são associados do que quando são tomados em separado. Não se trata de uma surpresa, dado que o coração e o cérebro são de longe os dois órgãos que consomem a maior quantidade de energia.

¤ Um estudo japonês realizado em 2007 mostrou que a PQQ, tomada em doses de 20 mg por dia, melhorava a memória, a atenção e as funções cognitivas; os desempenhos do grupo que tomou o suplemento de PQQ foram duas vezes superiores aos do grupo que tomou o placebo. A toma conjugada de 300 mg de CoQ10 amplificou ainda os desempenhos nos testes de memória. Conclusão: as atitudes mentais bem como a qualidade de vida dos sujeitos idosos podem ser melhoradas e o tratamento constitui uma ajuda na prevenção do abrandamento das funções cognitivas nos indivíduos de idade avançada.

¤ Por outro lado, um outro estudo mostrou que a PQQ era mais ativa quando combinada com antioxidantes e que, associada à CoQ10, os parâmetros neurodegenerativos eram melhorados e a neurotrofina, fator de crescimento nervoso, estimulada. O mesmo se passa quando a associação PQQ-CoQ10 permite abrandar a degenerescência cerebral, reduzir a formação da placa amilóide (uma das causas prováveis da doença de Alzheimer e da demência) e talvez também a atrofia cerebral (a diminuição do volume do cérebro com o avançar da idade).

A PQQ e a CoQ10, tomadas simultaneamente, melhoram o estado antioxidante e a saúde mitocondrial por mecanismos complementares. Proporcionam também um apoio multiforme às funções cardiovasculares e cerebrais. Melhoram o estado mental e a qualidade de vida dos pacientes idosos e podem ser utilizadas para abrandar ou prevenir o declínio cognitivo dos indivíduos de meia idade.

PQQ - CÁPSULAS PARA CABELOS BRANCOS


G
raças aos avanços na área da nutricosmética, hoje já é possível se pensar em cápsulas que escurecem gradativamente e previnem o aparecimento dos cabelos brancos. O produto não promete acabar com os fios brancos já existentes e sim adiar o surgimento dos novos - o que já é uma inovação.

Tudo começou quando cientistas descobriram que o embranquecimento dos cabelos se dá devido a um tipo específico de radical livre, denominado radical hidroxila, que ataca as células produtoras de melanina da raiz dos fios, levando à morte destas células e ao embranquecimento progressivo dos fios.

Outro grupo de cientistas, então, desenvolveu uma molécula extremamente potente no combate a este tipo de radical, a chamada PQQ (pirroloquinolina quinona), mais potente que a coenzima Q10 e que as vitaminas C e E no combate aos radicais livres do tipo hidroxila.


A vitamina  PQQ pode proteger os cabelos do embranquecimento e ainda todas as demais células do corpo devido ao seu poder antioxidante. Vida longa a cor dos seus cabelos!

TOXIDADE
Desconhecida
FONTES  NATURAIS
Kiwi e pimenta.


Este artigo não pretende a prescrição ou indicação de medicamentos. Se você apresenta algum dos sintomas citados procure um Médico pois nada substitui uma consulta com um Médico especializado, pois tanto para a mulher como para o homem, a avaliação Médica e especialmente a Terapia Ortomolecular tem que ser individualizada e só deve ser prescrita por Médico Especialista, e que para se ter uma base do que se vai indicar para um paciente é necessário fazer uma minuciosa anamnese clínica, avaliar o estado psico-emocional do paciente e  fazer um estudo pormenorizado com exames laboratoriais, inclusive Ortomoleculares como o Teste do Cabelo (Mineralograma)e outros através de sangue, urina e fezes.

Dr. Rogério Alvarenga é Médico (CRM-RJ 23.389-0), Especialista em Medicina Ortomolecular. É também Endocrinologista e tem Título de Especialista em Nutrologia Médica pela AMB. É membro da Academia de Ciências de NovaYork ("The New Academy of Sciences" - USA) entre outras no exterior. Membro da ABESO(Associação Brasileira para Estudos da Obesidade) e  outras. Membro-Fundador da SOMORJ-Sociedade de Medicina Ortomolecular do Estado do Rio de Janeiro.

 

 

Medicina Ortomolecular, Teste do Cabelo, Intoxicação por Metais Pesados, Prevenção do Envelhecimento, Tratamento para Crescimento em Crianças e Adolescentes, Aumento de Massa Muscular em Atletas, Tratamento do Stress, Depressão, Irritabilidade, Agressividade, Andropausa, Menopausa, Reposição Hormonal Feminina e Masculina ,Doenças da Tireóide, Medicina Preventiva, Desinteresse Sexual Masculino e Feminino, Artrite, Artrose, Osteoporose, Fibromialgia, Queda de Cabelos, OBESIDADE, Magreza, Distúrbios do Colesterol e Triglicérides, Nutrologia Médica e Endocrinologia em Geral. Para informações e marcação de consulta ligue para (21) 2611-2244 e mesmo que caia em uma gravação, deixe seu nome, número de telefone e sua mensagem. As consultas somente são feitas com hora previamente marcada. Terapia Ortomolecular, Teste do Cabelo, Intoxicação por Metais Pesados, Prevenção do Envelhecimento, Tratamento para Crescimento em Crianças e Adolescentes, Aumento de Massa Muscular em Atletas, Tratamento do Stress, Depressão, Irritabilidade, Agressividade, Andropausa, Menopausa, Reposição Hormonal Feminina e Masculina ,Doenças da Tireóide, Medicina Preventiva, Desinteresse Sexual Masculino e Feminino, Artrite, Artrose, Osteoporose, Fibromialgia, Queda de Cabelos, OBESIDADE, Magreza, Distúrbios do Colesterol e Triglicérides, Nutrologia Médica e Endocrinologia em GeralPara informações e marcação de consulta ligue para (21) 2611-2244 e mesmo que caia em uma gravação, deixe seu nome, número de telefone e sua mensagem. As consultas somente são feitas com hora previamente marcada.  Para marcação de consultas utilize-se também do Fax (21) 2611-7520; entretanto, Sugestões, Perguntas e Dúvidas somente serão respondidas pela internet.

Para informações e marcação de consulta ligue tambem para o Celular (21) 9111-6055, de 2ª a 6ª-feira fe 9:00 às 18:00 hs. As consultas somente são feitas com hora previamente marcada.

Clique aqui para fazer sua pergunta, dúvida ou sugestão ao Dr. Rogério Alvarenga.

Se você gostou deste Website volte mais vezes. Mas, se você realmente gostou de uma das páginas ou deste WebSite, indique nosso endereço  a um(a) amigo(a). Basta clicar aqui!

Se você realmente gostou desta página ou
deste WebSite, indique-o clicando no ícone.
Obrigado !

Se você não entrou pela página principal, clique aqui para visitar a página principal e as demais do site.

Copyright © Dr. Rogério M. Alvarenga