Dr.  Rogério  M. Alvarenga
Médico - CRM-RJ 23.389-0

A indústria de alimentícia vem preocupando-se cada vez mais com a qualidade dos produtos que coloca à disposição dos consumidores. Nesta perspectiva, estão muito atentos ás pesquisas, promovem-na e dela retiram os conhecimentos necessários para a produção de produtos com características bem específicas.

Assim, foram aparecendo no mercado alimentício um conjunto de produtos modificados que têm o objetivo de melhorar a nossa alimentação. Gostaríamos de lhes chamar milagrosos, mas na realidade não o são.

Existem, em grande quantidade no mercado, dois tipos de produtos que atraem boa parte dos consumidores: Diet e Light . O fato do produto ser Diet ou Light não significa que estão isentos de calorias e, conseqüentemente, poderiam ser consumidos sem restrições.

Os produtos Dietéticos não levam açúcar na composição. Isso quer dizer, apenas, que o consumo desses produtos está liberado para pessoas que seguem uma dieta com restrição à ingestão de açúcar, e não que esses produtos não possuem calorias ou não engordam.
Nesses produtos, o açúcar é substituído por outra substância que dá o sabor doce ao alimento. Apesar de não fazerem mal ao diabético, essas substâncias contém calorias.

O sorbitol, por exemplo, que é uma das substâncias mais usadas em produtos dietéticos, tem 2,4 calorias por grama, cerca de 60% das calorias do açúcar de cana comum.
Quando um produto tiver redução expressiva de pelo menos um dos ingredientes encontrados na fórmula original, poderá ser considerado Light. Estes produtos possuem, portanto, menos calorias do que os convencionais, o que não significa que não contém calorias.

Os próprios fabricantes, de certa forma, induzem as pessoas ao erro ao estamparem nos rótulos de seus alimentos as palavras Diet, Light e Sugar Free. Esses produtos são, realmente, bons aliados em dietas, mas não podem ser consumidos em excesso.

Quem consome estes produtos está, de fato, consumindo menos calorias por unidade do produto. Mas é claro que, quanto maior for o consumo desses produtos, maior será a ingestão de calorias. Por exemplo, 2 fatias de pão Diet possuem 120 calorias, o mesmo que um pão de queijo grande; 3 bolas de sorvete napolitano Diet possuem 160 calorias, o mesmo que um brigadeiro mais uma fatia de pudim de chocolate; 2 embalagens de Halls Diet também possuem 160 calorias, tanto quanto um prato de sobremesa de espaguete com molho ao sugo; 100g de biscoito doce Diet possuem tantas calorias quanto uma fatia de pizza de mussarela mais um picolé de limão (360 calorias) e uma barra de 100g de chocolate ao leite Diet possui 550 calorias, o equivalente a um chocolate Diamante Negro (30g) mais um pastel de queijo e uma Coca-Cola.
Portanto, é preciso prestar mais atenção nos rótulos das embalagens para descobrir realmente a quantidade de calorias que cada produto contem, pois só isso poderá indicar em que quantidade eles podem ser consumidos.



 

São os alimentos destinados a dietas com restrição de nutrientes, pois não possuem um ou mais ingredientes em sua composição, como por exemplo:

O sucesso desses alimentos tem levado ao uso indiscriminado, tanto por quem quer emagrecer quanto pelos diabéticos, gerando uma série de confusões em tomo do tema Considerados bonitos, gostosos e "politicamente correto?, os alimentos na versão Diet ou Light ganharam corredores inteiros nos supermercados e mais espaço nos armários dos consumidores. E possível encontrar de tudo: macarrão, chocolate, biscoitos, bolos, pães etc.
Para quem não quer engordar ou precisa perder peso é bom lembrar que os alimentos chamados Diet podem ajudar mas, sozinhos, não fazem mágicas. Algumas pessoas passaram a adotá-los como alimentos milagrosos. que não engordam ou, ainda, que emagrecem. Na verdade, diet (segundo Portaria n0 41, de 12105/95, regulamentada pelo Ministério da Saúde) é uma palavra que caracteriza quaisquer alimentos que tenham redução de 40% de calorias (e Light. 25%). seja em forma de proteínas. carboidratos ou gorduras. Assim, nem todo produto Diet é necessariamente um alimento sem açúcar

Os produtos Light caracterizam-se por apresentarem redução, na quantidade total de um de seus componentes, de no mínimo 25%, como por exemplo, açúcar, gordura ou sódio (sal).

Na maioria das vezes, os produtos Light, são produzidos com menor quantidade de gordura e, por isso, são também indicados para quem necessita reduzir peso.
 

Veja, nos exemplos abaixo, rótulos de produtos Light e Diet.

Informação Nutricional:  Porção de 30 g

 

Requeijão Tradicional

Requeijão Light

 
 

Quant./ Porção

Quant./ Porção

 
Valor Calórico

80 kcal

45 kcal

44% de redução de calorias
Gorduras Totais

7,0 g

3,0 g

57% de redução de gorduras
Gorduras Saturadas

4,5g

1,5g

67% de red. gord. saturadas
Colesterol

20,0 mg

10,0 mg

50% de redução de colesterol

Neste exemplo, a porção indicada é de 30 g. Isso quer dizer que cada 30 g do produto tradicional têm 80 calorias; se observarmos o produto Light, essa mesma porção tem 45 calorias. Por isso, o produto Light ajuda na redução de peso, pois tem menor quantidade de calorias.

Informação Nutricional:  Porção de 100 g

 

Geléia Tradicional

Geléia Light

 
 

Quant./ Porção

Quant./ Porção

 
Valor Calórico

270 kcal

120 kcal

56% de redução de calorias
Gorduras Totais

0,5 g

0 g

100% de redução de gorduras
Gorduras Saturadas

0 g

0 g

 
Colesterol

0 mg

0 mg

 
Carboidratos

65 g

29 g

50% de red. de carboidratos

Neste exemplo, cada 100 g do produto tradicional têm 65 g de carboidratos e, se observarmos o produto Diet, essa mesma porção tem 29 g de carboidratos. Por isso, o produto Diet causa menor elevação da glicemia (açúcar no sangue), pois apresenta em sua composição uma redução na quantidade de carboidratos.

 

Light e Diet juntos, melhor ainda !

Na verdade, toda essa história de Light e Diet é tão confusa´para o consumidor quanto para a indústria alimentícia e o governo. Eles estão tentando chegar a um acordo em relação ao que deve constar no rótulo, para que se possa saber exatamente o que se está consumindo. Mas como eles ainda não chegaram a nenhuma conclusão, muitas embalagens continuam sem nenhuma explicação - e o consumidor sem informações sobre o produto.
 

Uma informação que quase ninguém sabe é que, apesar de diferentes, Light e Diet podem andar juntos, sim, pois um produto pode ser os dois ao mesmo tempo desde que tenha as duas especificações: redução de ingredientes calóricos e ausência de algum nutriente, como por exemplo, o iogurte desnatado, que é Diet em lipídios totais (gordura) e Light no que se refere às calorias.

Um bom exemplo vem da Coca-Cola. Na década de 80, a empresa lançou a primeira versão "magra" do refrigerante, a Coca-Cola Diet, que era produzida a partir do mesmo xarope da versão normal. A diferença estava na adição de adoçante no lugar do açúcar, deixando a bebida com menos de 7 calorias por lata. Mas pesquisas revelaram que os consumidores achavam a bebida doce demais.
O
resultado todos nós conhecemos, é a atual Coca-Cola Light, que substituiu a Diet em 1997. Para agradar os consumidores, a empresa altero
u o xarope e passou a utilizar o Aspartame como adoçante. E o consumidor é quem saiu ganhando, porque a Coca-Cola Light ficou com 1,5 calorias por lata.
O
curioso é que nos dois casos o nome escolhido foi uma questão de marketing. Mesmo depois de reformulada, a Coca-Cola Light poderia continu
ar com o título de Diet, porque nas duas versões possui redução de calorias e retirada de um ingrediente (o açúcar) e em cada 100 ml. apresenta Ciclamato de Sódio (32 mg), Aspartame (12 mg) e Sacarina Sódica (6 mg).
 

Já a Coca Zero contem os seguintes edulcorantes artificiais: Ciclamato de sódio 24mg/100ml, Acessulfame de Potássio (Assessulfame-K) 15mg/100 ml e Aspartame 12mg/100ml.

 

 

Produtos Light e Diet

Como reconhecer as diferenças ?

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) os critérios para identificação, rotulação e qualificação dos produtos dietéticos são os seguintes:

Alimentos para regimes especiais – alimentos elaborados ou preparados especialmente para satisfazer necessidades particulares de alimentação determinadas por condições físicas ou fisiológicas particulares e ou enfermidades ou transtornos específicos e que se apresentem como tal.
A composição deve ser diferente da composição de alimentos tradicionais de natureza análoga. Pode ser usada a designação “ para regimes especiais” ou uma expressão equivalente adequada.

Declaração de Propriedades Nutricionais
Qualquer representação que afirme, sugira ou implique que um alimento possua propriedades nutritivas particulares especiais, não só em relação com seu valor energético e conteúdo de proteínas, gorduras e
carboidratos como também em relação ao seu conteúdo de vitaminas e minerais.
Expressões a serem utilizadas:
Reduzido, Menos, Aumentado, Mais que, Alto conteúdo, Baixo conteúdo, etc.

Bebida Dietética – teor de açúcar menor que 0,5 g/100ml. Este limite pode ser maior nos refrigerantes dietéticos quando proveniente da adição de suco de fruta. Permitido o uso do termo “Diet”.

Bebida de baixa caloria - o conteúdo de açúcares substituído por edulcorante natural ou artificial e cujo teor calórico não ultrapasse 20 kcal/100ml. Permitido o uso do temo “Light”.

INFORMAÇÃO NUTRICIONAL COMPLEMENTAR: pode ser declarada das seguintes formas:

CRITÉRIOS PARA UTILIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO NUTRICIONAL COMPLEMENTAR:

Atributos

Conteúdos Absolutos

Termos Estrangeiros

Baixo Baixo, pobre, leve Light, lite, low.
Não contém Não contém, livre, Free, No, Without...
Alto teor Alto teor, Alto conteúdo, rico em High... Rich...
Fonte de Fonte de Source...
Muito Baixo Muito baixo Very low
Sem adição Sem adição de No....added
Reduzido Reduzido... leve Light.... Lite
Aumentado Aumentado Increased


CONDIÇÕES PARA DECLARAÇÕES RELACIONADAS AO CONTEÚDO DE NUTRIENTES E VALOR ENERGÉTICO CALORIAS
Baixo ou Light
Máximo de 40 kcal/100g ou 20 kcal/100ml.
Reduzido
No mínimo 25% de calorias a menos do que o alimento de referência e diferença maior que 40 kcal/100g ou 20 kcal/100ml.

AÇÚCAR
Baixo ou Light
Máximo de 5 g de açúcar em 100 g ou 100 ml e máximo de 40 kcal/100g ou 20 kcal/100 ml. Se não houver redução de calorias, usar a frase: "Este não é um alimento com valor energético reduzido”.
Sem Adição de Açúcar
Açúcares não foram adicionados durante a produção ou embalagem do produto e não contém ingredientes que açúcares foram adicionados. Se o alimento não atender a condição de baixo ou reduzido em calorias, usar a frase: "Este não é um alimento com valor energético reduzido”.

GORDURAS TOTAIS
Baixo ou Light
Máximo de 3 g de gordura em 100 g ou 1,5 g de gordura em 100 ml.
Reduzido
No mínimo 25% a menos de gordura do que o alimento de referência. A diferença deve ser maior que 3g de gordura em 100g ou 1,5g em 100 ml.

GORDURAS SATURADAS
Baixo ou Light
Máximo de 1,5 g de gordura saturada em 100g ou 0,75 g em 100 ml. A energia fornecida por gordura deve ser no máximo 10% do Valor Energético.
Reduzido
No mínimo 25% a menos de colesterol que o alimento de referência. A diferença deve ser maior que 1,5g/100g ou 0,75g/100 ml.

COLESTEROL
Baixo ou Light
Máximo de 20mg de colesterol em 100 g ou 10 mg de colesterol em 100 ml e máximo de 1,5 g de gordura saturada em 100 g ou 0,75 em 100 ml. A energia fornecida por gordura saturada deve ser no máximo 10% do Valor Energético.
Reduzido
No mínimo 25% a menos de colesterol que o alimento de referência. A diferença deve ser maior que 20 mg colesterol/100g ou 10 mg de colesterol em 100 ml.

ALIMENTOS PARA FINS ESPECIAIS: São alimentos especialmente formulados ou processados adequados à utilização em dietas diferenciadas e ou opcionais, atendendo às necessidades de pessoas em condições metabólicas e fisiológicas específicas.

ALIMENTOS QUE NÃO SE ENQUADRAM NESTA DEFINIÇÃO:
Alimentos Adicionados de Nutrientes Essenciais, Bebidas Dietéticas e de Baixa Caloria, Suplementos Vitamínicos, Minerais, Aminoácidos e produtos com substâncias medicamentosas ou indicações terapêuticas.

CLASSIFICAÇÃO DOS ALIMENTOS PARA FINS ESPECIAIS:

ALIMENTOS QUE PODEM USAR A EXPRESSÃO “DIET”:


INFORMAÇÕES ADICIONAIS QUE DEVEM CONSTAR DO RÓTULO DESSES ALIMENTOS
Os alimentos para dietas com restrição de nutrientes e para ingestão controlada de nutrientes devem conter no rótulo as seguintes frases e orientações:
"Diabéticos: contém (especificar o mono ou dissacarídio)", quando contiverem glicose, frutose e ou sacarose.
"Contém Fenilalanina": quando houver adição de Aspartame.
Consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista ou médico.

LIGHT x DIET : PRINCIPAIS DIFERENÇAS

GRUPOS POPULACIONAIS
LIGHT: grupos populacionais saudáveis.
DIET: grupos populacionais com necessidades específicas.

CONTEÚDO DE NUTRIENTES

LIGHT: redução de nutrientes em limites mais toleráveis.
DIET: presença de até 0,5 g do nutriente ou total isenção.

PRESENÇA DE ORIENTAÇÃO ADICIONAL NA ROTULAGEM
LIGHT: não é exigida.
DIET: exigida: “Consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista ou médico”.

OBRIGATORIEDADE
LIGHT: não obrigatória.
DIET: obrigatória.


Após esta caracterização dos produtos Diet e Light, devemos dizer que os primeiros devem ser consumidos apenas por pessoas que necessitem de determinadas restrições alimentares e, por isso, a conselho do nutricionista, do médico ou de outro profissional de saúde habilitado. Os produtos light não carecem daquele tipo de autorização, podendo ser utilizados pelo consumidor comum. No entanto, convém lembrar três aspectos:


• o consumo abusivo de produtos com aditivos, como é o caso dos edulcorantes, é prejudicial;
• como são produtos de menor valor calórico, há tendência para os consumir em demasia, o que leva, na mesma, a um excesso calórico;
• estes produtos são normalmente mais caros.
 

Cuidados para não errar na escolha !

Muitas pessoas, por não estarem esclarecidas adequadamente sobre a diferença entre produtos Light e Diet, abusam no consumo desses produtos, e acabam ingerindo um valor maior em quantidade calórica do que o necessário. Por exemplo, se alguém substituir uma fatia de bolo comum por 2 fatias de bolo Diet, estará ingerindo uma maior quantidade de calorias.

Veja o exemplo:

O bolo Diet é preparado sem adição de açúcar, sendo indicado para pessoas diabéticas. No entanto, para substituir o açúcar e não alterar o sabor e a consistência, normalmente se adiciona maior quantidade de gordura. Como a gordura é mais calórica que o açúcar, o valor calórico total dessa fatia de bolo, é maior. Por isso,mesmo o produto Diet deve ser consumido com moderação, pois pode causar aumento de peso. O mesmo acontece com pães, biscoitos e outros produtos.

 

 

Confira abaixo mais exemplos entre alguns produtos Diet e Light tradicionais:

Produto Tradicional

(em calorias)

Diet

(em calorias)

Light

(em calorias)

Flan de Baunilha (140g) 130 53 -
Gelatina (1 porção) (110g) 60 6 -
Margarina 1 colher (sobremesa) (20g) 50 - 24
Creme de Leite 1 colher (sopa) 37 - 24
Iogurte 1 pote ( 200 g) 122 60 24
Cerveja 1 lata (350 ml) 147 - 97
Maionese 1 colher (sopa) 144 - 66
Pão-de-Fôrma 1 fatia 65 55,2 55,2
Sorvete 1 bola 80,3 32,2 36
Geléia 1 colher (sopa) 48,6 8,3 20,2
Chocolate 1 barra pequena (30 g) 159 141,6 -
Refrigerante 147 7 1,5

Os valores calóricos dos alimentos descritos acima representam uma média, podendo variar de acordo com a marca de cada produto.

Enfim, de nada adianta transformar a geladeira em um depósito Light/Diet. A indicação "menos calorias" nas embalagens não quer dizer que você está liberado para comer feito um louco. Esses alimentos ajudam a controlar o peso de fato, isso não deve se tornar um estilo de vida, pois o organismo precisa ter quantidades adequadas de calorias e macronutrientes. Além disso, de nada adiantará o esforço se você comer além da conta. Para não errar, fique de olho nos rótulos e compare cada produto para ver o que realmente vale a pena, pois o fundamental é enquadrarmos a nossa alimentação numa perspectiva racional e, desse modo, os produtos light não necessitarem de ser utilizados. Digamos que o consumo destes produtos servirá mais para aliviar as nossas consciências do que para nos alimentar corretamente.

 

Existem vários tipos e marcas de adoçante e às vezes fica-se em dúvida na hora de saber qual deles utilizar. Nas tabelas abaixo estão os principais tipos de adoçante existentes no mercado brasileiro.

Ao escolher o adoçante, diante de tantas opções e variáveis, recomenda-se que:

A escolha de um produto dietético deve ser individualizada, levando em conta as particularidades de cada caso; 

Seu uso não deve ser indiscriminado, pois tais produtos contribuem com calorias e mesmo naqueles com valor calórico reduzido, deve-se considerar a oferta do edulcorante;

Utilize com cautela os produtos que contêm sorbitol, pois ele possui efeito laxativo (ele pode variar de acordo com a sensibilidade de cada um);

Hipertensos ou pessoas que possuem problemas de rins devem estar atentos ao conteúdo de sódio dos adoçantes.
 


Adoçante
Vantagens
Desvantagens
Consumo Máximo Diário
Aspartame - tem sabor semelhante ao do açúcar
- adoça até 200 vezes mais do que ele
- possui 4 calorias por grama
- não pode ser usado no forno
- contra-indicado a quem tem problemas com a metabolização da fenilalanina - 40 mg por kg de peso corpóreo (para uma pessoa de 60kg, isso significa 2,4g de adoçante)
Ciclamato de sódio - não deixa sabor residual na boca
- não tem calorias
- seu poder de adoçar é menor que todos os outros
- não pode ser usado no preparo de receitas que vão ao forno
- 11 mg por kg de peso corpóreo
Frutose - é natural (extraída de frutas)
- pode ser usada no preparo de receitas que vão ao forno
- tem 4 calorias por grama
- os diabéticos só podem usar com recomendação médica
- não há limite de ingestão diária
Sacarina sódica - não tem calorias
- adoça 300 vezes mais que o açúcar
- pode ser usada no preparo de receitas que vão ao forno
- deixa um sabor amargo na boca quando usada em grande quantidade
- 2,5 mg por kg de peso corpóreo
Stévia - não tem calorias
- adoça 180 vezes mais que o açúcar
- pode ser usada no preparo de receitas que vão ao forno
- deixa um sabor amargo na boca quando usada em grande quantidade
- 60 mg por kg de peso corpóreo
Sucralose - não é calórica
- possui gosto semelhante ao do açúcar
- pode ser usada no forno
- adoça 600 vezes mais que o açúcar
- custa mais caro que os demais - 15 mg por kg de peso corpóreo


Adoçante
Poder Adoçante (vezes superior à sacarose)
Uso Comercial
Palatabilidade
Contribuição Calórica
Consumo Máximo Diário (mg/kg de massa corpórea)

Desvantagens
Sorbitol 0,5 a 0,7 Veículo umectante presente em balas, sorvetes e doces cremosos. Na forma cristalina causa efeito refrescante na língua. Sim Não especificado Ação laxativa e diurética em dose > que 30-70g/dia
Aspartame 120 a 220 Adoçante pó e líquido, balas, pudins, gelatinas, chocolates, refrigerantes, sorvetes, iogurtes e biscoitos. Doçura semelhante à sacarose. Insignificante 40 Perda da doçura em altas temperaturas. Proibido para fenilcetonúricos.
Stévia 300 Adoçante pó e líquido, achocolatados. Sabor residual. Insignificante 5.5 ____
Sacarina 200-700 Adoçante pó e líquido, refrigerantes, pudins e gelatinas. Doçura de percepção tardia. Sabor residual amargo, metálico Não 5 Qualidade do sabor. Aumento do consumo de sódio.
Ciclamato 30-140 Associado aos mesmos produtos que contêm sacarina. Doçura de lenta percepção. Sabor residual amargo persistente. Não 11 Qualidade do sabor. Aumento do consumo de sódio.
AcesufameK 125-250 Adoçante pó e líquido, refrigerantes e chocolates. Doçura de rápida percepção. Não 9 Baixa disponibilidade no mercado.
Sucralose 400-800 Adoçante pó. Doçura de rápida percepção. Não 15 Alto custo.

 

Este artigo não pretende a prescrição ou indicação de medicamentos. Se você apresenta algum dos sintomas citados procure um Médico pois nada substitui uma consulta com um Médico especializado, pois tanto para a mulher como para o homem, a avaliação Médica e especialmente a Terapia Ortomolecular tem que ser individualizada e só deve ser prescrita por Médico Especialista, e que para se ter uma base do que se vai indicar para um paciente é necessário fazer uma minuciosa anamnese clínica, avaliar o estado psico-emocional do paciente e  fazer um estudo pormenorizado com exames laboratoriais, inclusive Ortomoleculares como o Teste do Cabelo (Mineralograma)e outros através de sangue, urina e fezes.

Dr. Rogério Alvarenga é Médico (CRM-RJ 23.389-0), Especialista em Medicina Ortomolecular. É também Endocrinologista e tem Título de Especialista em Nutrologia Médica pela AMB. É membro da Academia de Ciências de NovaYork ("The New Academy of Sciences" - USA) entre outras no exterior. Membro da ABESO(Associação Brasileira para Estudos da Obesidade) e  outras. Membro-Fundador da SOMORJ-Sociedade de Medicina Ortomolecular do Estado do Rio de Janeiro.

 

Medicina Ortomolecular, Teste do Cabelo, Intoxicação por Metais Pesados, Prevenção do Envelhecimento, Tratamento para Crescimento em Crianças e Adolescentes, Aumento de Massa Muscular em Atletas, Tratamento do Stress, Depressão, Irritabilidade, Agressividade, Andropausa, Menopausa, Reposição Hormonal Feminina e Masculina ,Doenças da Tireóide, Medicina Preventiva, Desinteresse Sexual Masculino e Feminino, Artrite, Artrose, Osteoporose, Fibromialgia, Queda de Cabelos, OBESIDADE, Magreza, Distúrbios do Colesterol e Triglicérides, Nutrologia Médica e Endocrinologia em Geral. Para informações e marcação de consulta ligue para (21) 2611-2244 e mesmo que caia em uma gravação, deixe seu nome, número de telefone e sua mensagem. As consultas somente são feitas com hora previamente marcada. Terapia Ortomolecular, Teste do Cabelo, Intoxicação por Metais Pesados, Prevenção do Envelhecimento, Tratamento para Crescimento em Crianças e Adolescentes, Aumento de Massa Muscular em Atletas, Tratamento do Stress, Depressão, Irritabilidade, Agressividade, Andropausa, Menopausa, Reposição Hormonal Feminina e Masculina ,Doenças da Tireóide, Medicina Preventiva, Desinteresse Sexual Masculino e Feminino, Artrite, Artrose, Osteoporose, Fibromialgia, Queda de Cabelos, OBESIDADE, Magreza, Distúrbios do Colesterol e Triglicérides, Nutrologia Médica e Endocrinologia em GeralPara informações e marcação de consulta ligue para (21) 2611-2244 e mesmo que caia em uma gravação, deixe seu nome, número de telefone e sua mensagem. As consultas somente são feitas com hora previamente marcada.  Para marcação de consultas utilize-se também do Fax (21) 2611-7520; entretanto, Sugestões, Perguntas e Dúvidas somente serão respondidas pela internet.

Para informações e marcação de consulta ligue tambem para o Celular (21) 9111-6055, de 2ª a 6ª-feira fe 9:00 às 18:00 hs. As consultas somente são feitas com hora previamente marcada.

Clique aqui para fazer sua pergunta, dúvida ou sugestão ao Dr. Rogério Alvarenga.

Se você gostou deste Website volte mais vezes. Mas, se você realmente gostou de uma das páginas ou deste WebSite, indique nosso endereço  a um(a) amigo(a). Basta clicar aqui!

Se você realmente gostou desta página ou
deste WebSite, indique-o clicando no ícone.
Obrigado !

Se você não entrou pela página principal, clique aqui para visitar a página principal e as demais do site.

Copyright © Dr. Rogério M. Alvarenga